20mai

Métodos que causam ausência de menstruação e contra-indicação

* Métodos que levam a paciente à amenorréia (ausência de menstruação):
Dentre os métodos que fazem a paciente ficar em amenorréia, podemos citar as pílulas anticoncepcionais de uso contínuo ( como, por exemplo, Cerazette, Elani 28 e Gestinol 28).

* Contra-indicações (de maneira geral):
· Alergias a componentes dos métodos
· Idade da paciente (Pacientes acima de 35 anos devem tomar cuidado por aumento do risco de trombose venosa profunda associado ao uso de anticoncepcionais hormonais)
· Tabagismo
· História pessoal de câncer de mamas
· História de sangramento genital sem causa aparente diagnosticada.
· Antecedente pessoal de Problemas cardíacos
· Colesterol elevado
· Antecedente pessoal de trombose venosa profunda e ou acidente vascular cerebral (AVC ou derrame cerebral)

LEIA MAIS
28out

Estudo inédito comprova benefícios da pílula contínua

As mulheres que acham que menstruar é coisa do passado já podem ficar mais tranqüilas. Acaba de ser publicado um estudo brasileiro na revista norte-americana Contraception que comprova que o uso contínuo da pílula anticoncepcional tem os mesmos efeitos na mulher que a pílula tomada com pausa mensal. Segundo o coordenador do estudo, Dr. Rogério Bonassi Machado, alguns médicos acreditavam que o uso contínuo poderia deteriorar o perfil metabólico das usuárias. “O estudo mostrou que não, e confirmou que a pílula contínua se comporta da mesma maneira do que a usada com pausas, podendo ser uma boa alternativa de contracepção”, afirma o médico ginecologista e chefe do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí. Além disso, a taxa de amenorréia (ausência de sangramento) foi crescente a partir do terceiro mês de tratamento, atingindo 81%.

Não é nova a discussão sobre a necessidade da pausa mensal durante o uso de contraceptivos orais combinados. Ela acompanha a pílula desde o início da sua utilização, na década de 60. Muitas mulheres, porém, ainda acreditam que o sangramento tem alguma função, como tentar aproximar ao ciclo menstrual natural, “limpar” o organismo dos hormônios, certificar que não engravidou e prevenir o sangramento inesperado. Segundo o organizador do estudo, porém, “nenhuma dessas razões têm comprovação científica”.

Para as mulheres que consideram o sangramento mensal indesejável, seja por sintomas apresentados nesse período ou até por questões pessoais, a contracepção contínua pode ser uma opção segura, segundo o estudo realizado na Faculdade de Medicina de Jundiaí. Durante a pesquisa, não foram observadas alterações no peso e na pressão arterial das pacientes; houve baixa incidência de efeitos adversos; a taxa de amenorréia (ausência de sangramento) foi crescente a partir do quarto ciclo de observação e atingiu 81% ao final. Houve redução nos níveis de LDL (colesterol ruim) e aumento do HDL (colesterol bom) e triglicerídeos; houve aumento não significativo nos níveis de insulina e manutenção da glicemia. “Em conclusão, pôde-se demonstrar que o uso contínuo da associação etinilestradiol 30 mcg/gestodeno 75mcg, por 24 semanas, associou-se a efeitos clínicos satisfatórios, com manutenção dos níveis pressóricos e do peso corporal; a alterações metabólicas semelhantes às observadas em usuárias de pílulas com pausas mensais e a elevada taxa de amenorréia após o terceiro ciclo de tratamento”, afirma o Dr. Rogério Bonassi.
A pílula de uso contínuo testada no estudo foi o Gestinol 28, produzido pela Libbs Farmacêutica há cerca de três anos. É indicada para mulheres que querem interromper a menstruação por um período determinado ou para tratamento dos sintomas da menstruação, como cólicas muito fortes, enxaqueca e tensão-pré-menstrual. O Dr. Rogério Bonassi explica que “além de evitar a gravidez, a adoção da pílula anticoncepcional de uso contínuo minimiza os incômodos da menstruação e diminui os riscos de doenças como endometriose e câncer de ovário”.

O estudo, denominado “Aspectos clínicos e metabólicos da associação contraceptiva etinilestradiol 30 mcg / gestodeno 75 mcg em uso contínuo”, foi desenvolvido por existirem poucos relatos na literatura científica acerca de parâmetros clínicos e do impacto metabólico em usuárias de pílulas contínuas por longo período. A pesquisa envolveu 45 voluntárias, com idade entre 18 e 35 anos, durante 24 semanas (seis meses), o maior período de estudo realizado com esse método anticoncepcional.

Fonte:http://dani-maggioni.blogspot.com

LEIA MAIS

ANÚNCIO

FACEBOOK

INSTAGRAM

TWITTER

CATEGORIAS

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

Inscreva-se e receba atualizações e não perder as novidades!