10/03
domingo

Conta-indicações no uso do anticoncepcional Minima

anticoncepcional, menstruação, pílula, eficácia, engordar, cabelo, intestino, alimentos, vestido de dama de honra, moda, cozinha, gravidez, menopausa, pílula do dia seguinte, anticoncepcional mensal, anticoncepcional trimestral, líbido, adesivo anticoncepcional, adesivo em anticoncepcional, sangramento, anticoncepcional que dao sono, anticoncepcional 21 dias, dosagem, cabelos oleosos, injetavel mensal, esquecimento na tomada, pele, anticoncepcional modo de usar, crescimento do cabelo, ausência de menstruação, parar de menstruar, anticoncepcional em adesivo, nuvaring, anticoncepcional Cerazette, Mirena, depoimento, anticoncepcional Yumi, anticoncepcional Elani Ciclo, DIU, SIU, DIU Mirena, injetável, camisinha feminina, trombose, implanon, anticoncepcional Miranova, implanon, anticoncepcional Femiane, camisinha, diafragma, implante subcutâneo, bebida alcoolica, depoimento, anticoncepcional MinimaOs contraceptivos orais combinados não devem ser utilizados por mulheres que apresentem qualquer uma das seguintes condições: – Trombose venosa profunda (história anterior ou atual) – Tromboembolismo (história anterior ou atual) – Doença vascular cerebral ou coronariana arterial – Valvulopatias trombogênicas – Distúrbios trombogênicos – Diabetes com envolvimento vascular – Hipertensão não-controlada – Carcinoma da mama conhecido ou suspeito ou outra neoplasia estrogênio-dependente conhecida ou suspeita – Adenomas ou carcinomas hepáticos, ou doença hepática ativa, desde que a função hepática não tenha retornado ao normal – Gravidez confirmada ou suspeita – Hipersensibilidade a qualquer um dos componentes de Mínima.

Fonte: http://www.medicinanet.com.br

 
02/10
terça-feira

Uso do anticoncepcional Minima na gravidez

Estudos epidemiológicos abrangentes não revelaram aumento do risco de defeitos congênitos em crianças de mulheres que utilizaram contraceptivos orais combinados antes da gravidez. Os estudos não sugerem efeito teratogênico, especialmente no que diz respeito a anomalias cardíacas e defeitos de redução dos membros, quando os contraceptivos orais combinados são tomados inadvertidamente durante o início da gravidez. Lactação: Pequenas quantidades de contraceptivos esteroidais e/ou metabólitos foram identificados no leite materno e poucos efeitos adversos foram relatados em lactentes, incluindo icterícia e aumento das mamas. A lactação pode ser influenciada pelos contraceptivos orais combinados, uma vez que podem reduzir a quantidade e alterar a composição do leite materno. Em geral, não deve ser recomendado o uso de contraceptivos orais combinados até que a lactante tenha deixado totalmente de amamentar a criança.

Fonte: http://www.medicinanet.com.br

 
01/10
segunda-feira

Anticoncepcional Minima: informações

MÍNIMA é um contraceptivo oral que combina o componente estrogênico (etinilestradiol) com o componente progestogênico (gestodeno). Farmacologia Clínica: Os contraceptivos orais combinados agem por supressão das gonadotrofinas. Embora o mecanismo primário dessa ação seja a inibição da ovulação, outras alterações incluem mudanças no muco cervical (que aumenta a dificuldade de entrada do esperma no útero) e no endométrio (que reduz a probabilidade de implantação). Quando corretamente e constantemente ingeridos, a taxa provável de falha dos contraceptivos orais combinados é de 0,1% por ano, entretanto, a taxa de falha durante uso típico é de 5% por ano para todos os tipos de contraceptivos orais. A eficácia da maioria dos métodos de contracepção depende da precisão com que eles são usados. A falha do método é mais comum se os contraceptivos orais combinados são esquecidos. Os seguintes benefícios à saúde relacionados ao uso de contraceptivos orais combinados são confirmados pelos estudos epidemiológicos com formulações de contraceptivos orais combinados utilizando amplamente doses maiores que 35 µg de etinilestradiol ou 50 µg de mestranol: Efeitos sobre a menstruação: – melhora da regularidade do ciclo menstrual; – diminuição da perda de sangue e da incidência de anemia ferropriva; – diminuição da incidência de dismenorréia. Efeitos relacionados à inibição da ovulação: – diminuição da incidência de cistos ovarianos funcionais; – diminuição da gravidez ectópica. Outros benefícios não-contraceptivos: – diminuição da incidência de fibroadenomas e de doença fibrocística da mama; – diminuição da incidência de doença inflamatória pélvica aguda; – diminuição da incidência de câncer endometrial; – diminuição da incidência de câncer no ovário; – diminuição da gravidade de acne. A apresentação diferenciada de MÍNIMA contém 24 comprimidos contraceptivos amarelos e 4 comprimidos inertes marrons. Esses comprimidos inertes são compostos por fumarato ferroso e não auxiliam na ação contraceptiva do produto, sendo isentos de qualquer ação terapêutica. A principal finalidade desses comprimidos inertes é facilitar a administração de MÍNIMA em regime de uso contínuo de 28 dias, não havendo necessidade da paciente fazer pausa na tomada de comprimidos entre os ciclos. Propriedades farmacocinéticas: O gestodeno é rápido e completamente absorvido pelo trato gastrintestinal. Não sofre metabolização de primeira passagem e está quase que completamente biodisponível após administração oral. No plasma, gestodeno liga-se amplamente às globulinas de ligação dos hormônios sexuais (SHBG). Durante administrações repetidas, um acúmulo de gestodeno pode ser visto no plasma, com a fase de equilíbrio observada durante a segunda metade de um ciclo de tratamento. Entretanto, somente uma pequena fração (<1%) do gestodeno total está presente na forma livre. O gestodeno é completamente metabolizado por redução do grupo 3-ceto da dupla ligação delta-4, e por inúmeras hidroxilações. Nenhum metabólito farmacologicamente ativo de gestodeno é conhecido. Os metabólitos de gestodeno são excretados na urina (50%) e nas fezes (33%) com uma meia-vida de eliminação de aproximadamente um dia. O etinilestradiol é rápido e completamente absorvido pelo trato gastrintestinal. Sofre intensa metabolização de primeira passagem. A biodisponibilidade média está em torno de 45% com significante variação individual. O etinilestradiol liga-se fortemente a albumina e induz um aumento na concentração plasmática de SHBG. Após repetida administração oral, a concentração sanguínea de etinilestradiol aumenta em torno de 30-50%, atingindo a fase de equilíbrio durante a segunda metade de cada ciclo de tratamento.

 
24/03
quinta-feira

Breve explicação a respeito do anticoncepcional Minima


Como tomar MÍNIMA: Inicie o tratamento com MÍNIMA no primeiro dia do sangramento menstrual. Tomar o comprimido marcado com o dia correspondente da semana. Por exemplo, se o ciclo começar numa segunda-feira, tomar o comprimido marcado com SEG. Seguindo a direção das setas, tomar um comprimido por dia, sempre no mesmo horário, até acabarem todos os comprimidos indicados com os dias da semana. Depois, passe para os comprimidos marcados com números (em ordem crescente do 22 ao 28) até acabar a cartela. O sangramento de privação deverá ocorrer durante a ingestão dos comprimidos de cor marrom. A cartela seguinte deve ser iniciada logo após o término da anterior, mesmo que haja sangramento vaginal.

 
15/12
quarta-feira

Anticoncepcional Minima e comprimido marrom

Tomo o anticoncepcional Minima e gostaria de saber se os 4 comprimidos marrons do fim da cartela tem efeito contraceptivo. Tive relações sexuais 2 dias antes de terminar a cartela, ou seja, no 2° comprimido marrom, há risco de gravidez? Lembrando que sempre tomo corretamente o anticoncepcional.

Os últimos 4 comprimidos do Mínima não tem hormônios. Se toma corretamente o anticoncepcionalestá protegida mesmo durante o uso dos comprimidos marrons.

Dúvida de uma internauta