30/07
quarta-feira

O que você ainda não sabe sobre o funcionamento do anel contraceptivo

Contém os mesmos hormônios presentes na maioria das pílulas orais. É inserido dentro da vagina e deve permanecer nela por 21 dias seguidos. Passado esse período, a mulher deve ficar uma semana sem usar o anel até colocar um novo. Evita gravidez, mas não protege de doenças sexualmente transmissíveis.

 
30/07
quarta-feira

Aprenda agora quais as vantagens no uso do anticoncepcional oral

* Se tomado de forma correta, tem 99% de eficácia;
* Regula o ciclo menstrual;
* Diminui a acne, em especial, daquelas mulheres mais velhas, que nunca tiveram esse problema;
* Diminui a intensidade e frequência das cólicas menstruais;
* Controla os sangramentos intensos;
* É a forma contraceptiva mais barata;
* Pode combater os sintomas da TPM;
* A fertilidade retorna após a interrupção do tratamento, ao contrário, por exemplo, do dispositivo intrauterino Mirena;
É tido como o contraceptivo mais tolerado pela maioria das mulheres.

 
30/07
quarta-feira

Afinal, a pílula anticoncepcional de uso continuado faz mal à saúde?

A pílula de uso continuado não faz mal à saúde da mulher. Todos os métodos hormonais podem causar efeitos colaterais. Mas não há contra-indicação para seu uso contínuo, a menos que a mulher apresente alguma queixa ou problema que requeira a interrupção do método. Antigamente as pilulas vinham com dosagens de hormônios muito maiores, e isso às vezes fazia com que a mulheres demorassem muito para voltar a menstruar quando interrompiam o método. Hoje, com as dosagens bem menores, não precisa mais solicitar que as pacientes façam pausa no método. Avaliação ginecológica anual é necessária.

 
30/07
quarta-feira

Saiba agora: existe anticoncepcional fraco ?

Não. Existem anticoncepcionais com diferentes dosagens de hormônios, porém nenhum é fraco a ponto de engravidar. Caso contrário não poderia ser chamado de anticoncepcional e muito menos ser comercializado.

 
29/07
terça-feira

Completa explicação sobre dispositivo intrauterino (DIU)

Para as mulheres que não toleram a absorção gástrica do anticoncepcional oral ou que não consegue tomar a pílula pois esquece, por ter diabetes ou pressão alta; um método bastante indicado é o uso do DIU (dispositivo intrauterino).
Existem duas maneiras:
- DIU de cobre: não tem hormônio. Vai fazer um método de barreira, ou seja, o espermatozoide não consegue chegar para fazer a fecundação, pois fica um ambiente hostil dentro do útero.
- DIU com progesterona: libera doses contínuas de progesterona diariamente.Pode utilizar até 5 anos. E é bom para qualquer tipo de mulher, que tem, por exemplo, TPM muito forte e não quer menstruar, para endometriose e para aquelas que acabaram de ter neném (mas tem que esperar o útero voltar ao tamanho normal. Ou seja, aproximadamente depois de uns 2 meses do parto pode colocar o DIU).
É bem raro acontecer, mas existem casos, dependendo de como foi feita a colocação, que o DIU pode perfurar o útero. Por isso é necessário fazer o acompanhamento ginecológico. E aquelas mulheres que usam o DIU precisam mais ainda de um acompanhamento. Pelo menos a cada 6 meses fazer um ultrassom, observar se teve um sangramento muito diferente ou uma cólica intensa, ou seja, se algo está diferente, é bom adiantar a consulta médica.

 
29/07
terça-feira

Completa explicação sobre a eficácia da pilula anticoncepcional

As pílulas que contém apenas um hormônio e as que contém dois hormônios não diferem com relação à segurança na contracepção. Por exemplo, a mulher que acabou de ter o bebê e continua amamentando, tem os níveis de hormônios já ajustados por conta da produção de leite. Tomando de forma correta a pílula de uso contínuo de progesterona, não tem risco de engravidar.
De modo geral, as chances de engravidar usando pílula de forma correta é de 0,1%. Mas existe o risco. Ou seja, 10% das mulheres que usam um método anticoncepcional durante um ano, em 100 mulheres, 10 podem engravidar. Isso se deve ao fato da mulher tomar a pílula em horários diferentes, esquecer de tomar, tomar um antibiótico junto, ou um remédio para emagrecer, ou laxantes, dentre outros fatores. Todos esses fatores interferem na absorção da pílula.

 
29/07
terça-feira

Anticoncepcional injetável mensal e trimestral

A pílula injetável impede a ovulação e dificulta a passagem dos espermatozoides para o interior do útero.
Há dois tipos: a aplicada uma vez por mês e a trimestral. Ambas são muito eficazes quando usadas corretamente.
Com a interrupção da injeção mensal, a fertilidade da mulher logo retorna. No caso da trimestral, pode haver um atraso na volta da capacidade de engravidar: em média, levam-se quatro meses após o término do efeito.
A eficácia desse método é alta, mas os efeitos colaterais e as contraindicações são iguais às da pílula de cartela.

 
29/07
terça-feira

Relação desprotegida e uso do contraceptivo de emergência

Tive relação sem camisinha e estava no período fértil. Mas só tomei pílula do dia seguinte 3 dias depois da relação. Não senti nada além de inchaço nos seios. Ontem tive sangramento. Qual a chance de estar grávida?

A pilula do dia seguinte quando tomada entre 48 e 72h após a relação desprotegida, tem eficácia em torno de 56%. O sangramento vaginal que teve não é garantia de que não tenha engravidado. Aconselhamos que use preservativo e aguarde a próxima menstruação. Se ela não descer em até 28 – 30 dias, faça um teste de farmácia. Se não quer engravidar, nunca tenha relação desprotegida ou use a pílula de emergência após tanto tempo de relação, especialmente no período fértil. Vá a um ginecologista para ajudar a escolher um método contraceptivo que a deixe mais protegida.

Dúvida de uma internauta

 
29/07
terça-feira

Como fazer a troca de anticoncepcional

Toda troca de anticoncepcional pode resultar em alterações importantes no ciclo menstrual naquele mês e também no mês seguinte. Mas também podem acontecer falhas na prevenção anti-gravidez durante a troca. Por isso é necessário que a mulher inicie o novo método no primeiro dia de menstruação, use outros métodos de prevenção (camisinha, por exemplo) durante o primeiro mês de troca e tenha a orientação ginecológica.
Portanto não é impossível a mulher engravidar no mês da troca de anticoncepcional se não tomar outras providências.

 
28/07
segunda-feira

O que você ainda não sabe sobre o método contraceptivo adesivo

* Engorda ou não: Não há comprovação que os adesivos causem aumento no peso. E esse aumento não é um efeito colateral “declarado”.

* Vantagens:
- Com o adesivo, a mulher não precisa tomar a pílula todo dia e o risco de esquecimento diminui.
- Redução dos efeitos colaterais causados pela pílula oral, já que em contato com a pele os hormônios são absorvidos diretamente pela circulação.
- O efeito só dura para o mês em que a mulher usar o adesivo.
- Ao parar de aplica-lo, a mulher retoma a fertilidade e pode engravidar, diferentemente do anticoncepcional injetável, em que a fertilidade só se normaliza depois de seis meses.

* Desvantagens:
- Algumas mulheres não conseguem se adaptar ao método.
- Não pode ser usado por mulheres que pesam mais de 90 quilos.
- O adesivo pode causar efeitos colaterais. Apesar de serem menores as chances, a mulher pode ter náuseas, dores de cabeça, desconforto abdominal e cólica menstrual, sintomas comuns no uso dos anticoncepcionais orais.
- No início do uso ainda podem ocorrer pequenos sangramentos fora do intervalo
- O preço do adesivo anticoncepcional é um pouco maior que as pílulas orais.

* Preço:
O preço do adesivo anticoncepcional é um pouco maior que as pílulas orais. Uma caixa com três adesivos não sai por menos de R$ 45.