23/08
sábado

Aprenda: Pílula não causa infertilidade feminina

Essa história que usar anticoncepcional por muito tempo pode provocar a infertilidade da mulher é mentira. Muitas mulheres tomam anticoncepcional desde cedo; com 14, 15 anos. E ela já tinha um fator de infertilidade e não sabia disso. Tomou o anticoncepcional por 15 anos. Com 30 anos de idade, resolve engravidar. Para isso para de tomar o anticoncepcional. Não consegue engravidar. Com isso coloca a culpa no anticoncepcional. Mas na verdade ela já tinha o fator, as vezes, genético, uma má formação uterina e na verdade não foi o anticoncepcional que causou isso.
Outra situação que pode acontecer. A mulher tomou o anticoncepcional durante vários anos. Para de tomar. Os ginecologistas recomendam que a paciente aguarde até um ano para conseguir engravidar. O estrogênio pode ficar acumulado nas células gordurosas. E mesmo depois que a mulher para de tomar o anticoncepcional, durante um determinado período, ele continua fazendo a liberação desse hormônio e fazendo ação contraceptiva, mesmo a mulher não tomando mais o anticoncepcional.
A mulher parou de tomar  anticoncepcional,  está tentando a um ano e não está conseguindo engravidar, é necessário procurar  um especialista para verificar outras possíveis causas. Mas tudo isso faz parte do conjunto. Tem que conversar com o ginecologista.
Muitas mulheres acham que engravidar é fácil. E não é bem assim. Normalmente em torno de três meses as mulheres já tem êxito na gestação. A média é 3 a 4 meses após a parada do anticoncepcional já conseguir engravidar; tentando. Mas os ginecologistas pedem um prazo de um ano exatamente se tiver o hormônio ainda impregnado nas células gordurosas. Nesse prazo dá tempo de ser eliminado para aí sim ter uma gestação bem mais saudável.

 
23/08
sábado

Aprenda mais sobre hormônio feminino: estrogênio

O estrogênio é o hormônio feminino. Quando está em equilíbrio, é fantástico. É ele que dá a beleza da mulher; cabelos, pele e unhas.
Também pode ser o vilão. Se tiver muito aumentado ou muito diminuído, isso pode trazer consequências pois a mulher também tem o hormônio masculino que é a testosterona. Então quando há um desequilíbrio entre a testosterona e o estrogênio, começa a ter algumas alterações. Por exemplo, uma mulher que tem o aumento do hormônio masculino passa a ter mais acne, mais pêlos no corpo e no rosto e as vezes provoca o engrossamento da voz. E isso é comum. Verificamos também em síndrome do ovário policístico. Esses fatores são considerados quando a mulher não toma pílula.
Mas quem toma pílula anticoncepcional, muitas vezes pode ajudar. Se estiver muito elevado o hormônio masculino, o anticoncepcional irá combater. Existem até anticoncepcionais com dosagens específicas para isso; para combater esse hiperandrogenismo e melhorar a pele da mulher. Ou seja, o anticoncepcional não causa acne, mas sim melhora a pele.

 
23/08
sábado

Atenção: Método anticoncepcional deve ser indicado somente pelo médico

O grande problema do anticoncepcional é que, apesar de ser a medicação mais utilizada pelas mulheres, geralmente é a menos indicada pelos médicos. Geralmente quem indica é uma amiga ou a mãe da menina. E acaba que, como faz bem para ela, indica para a colega ou para a filha. Mas faz bem para ela, não vai saber não vai saber se faz bem para a colega ou para a filha. Isso se deve ao fato de que cada mulher tem um perfil hormonal; tem uma indicação e tem uma contra-indicação. O anticoncepcional pode ser um vilão enorme dependendo das contra-indicações que tem. Por exemplo, um histórico familiar de câncer de mama ou mesmo um histórico pessoal. Isso tudo tem que ser analisado juntamente com o ginecologista. Ele é a única pessoa capacitada para indicar e orientar a sua paciente a usar um método contraceptivo ideal.

 
23/08
sábado

Depoimento de quem faz uso do anticoncepcional Selene

Por Camila

Estou na segunda cartela do anticoncepcional Selene. Notei que no início tive dor de cabeça, mas agora já passou. O pior problema foi que minha acne aumentou consideravelmente. Mas meu ginecologista pediu para que esperasse até a terceira cartela para ver se a acne melhorava. Vamos ver se melhora.

 
22/08
sexta-feira

Como colocar o DIU

O DIU pode ser colocado após o parto, aborto ou durante o ciclo menstrual, preferentemente durante a menstruação. Geralmente coloca-se durante a menstruação pois nesse período o colo está discretamente mais aberto e também porque temos certeza de que não existe gestação.
A inserção do DIU pode causar algum desconforto, eventualmente, necessitando algum tipo de analgésico e o uso de analgésicos algumas horas após a inserção.
A presença de infecção vaginal é contra-indicação à inserção do DIU. Deve ser tratada a infecção e só após será inserido o DIU.

 
22/08
sexta-feira

Aprenda: O contraceptivo não causa câncer

Na verdade dizer que o anticoncepcional oral causa câncer é um mito. Ele não causa. Por si só não é responsável por causar um câncer de ovário, de endométrio ou de mama.
Mas a pílula aumenta a pré-disposição naquelas pacientes que tem um histórico familiar ou pessoal de câncer. Então digamos que a mãe de uma mulher teve câncer de mama ou ela mesma já teve. Ou uma mulher com seus 40 anos de idade e que já teve histórico de nódulo de mama que de repente pudesse se malignizar. Para essas mulheres é totalmente contra-indicado o uso do estrogênio, pois este vai propiciar uma maior chance desse câncer de mama se desenvolver.
O estrogênio tem o seu lado bom pois é protetor para o câncer de ovário e para o câncer de endométrio. Então mulheres que utilizam anticoncepcional combinados, que tem o estrogênio e a progesterona, tem uma chance muito diminuída de ter câncer de ovário e de endométrio. Então tem que pesar na balança e ver o custo/benefício desse uso ou não.

 
22/08
sexta-feira

Aprenda: pílula não acaba com o desejo da mulher

Não é que a pílula anticoncepcional acabe com o desejo ou diminui a libido da mulher. O mecanismo de ação dos anticoncepcionais, principalmente os orais, inibem a ovulação. Esse é o principal mecanismo de evitar a gravidez. No período de ovulação é o período que a libido da mulher fica mais aguçado. Então a mulher tem aquela líbido normal durante o mês todo e naquele período fértil geralmente a libido tem uma tendência a aumentar. E no período menstrual pode acontecer o aumento da libido.
Como o anticoncepcional vai fazer com que a mulher pare de ovular, consequentemente aquele aumento que teria na metade do ciclo; que é o período ovulatório; passa a não existir. As mulheres que se queixam que a libido diminuiu com o uso da pílula, de fato não diminuiu. Na verdade ela deixou de aumentar naquele período fértil. Mas no restante do mês a tendência é que permaneça exatamente igual.

 
22/08
sexta-feira

Depoimento de quem não gostou do contraceptivo injetável Perlutan

Por Rose

Estou no segundo mês de uso do contraceptivo injetável Perlutan. Desde que comecei a usar o injetável engordei 5 quilos. Comecei a reparar que sinto uma fome incontrolável (sempre fui magra), tenho dores de cabeça muito forte e meus seios ficam enormes todo mês todo. Assim que terminar esse ciclo vou parar de usar o Perlutan e novamente buscar orientação da minha ginecologista.

 
21/08
quinta-feira

Explicação completa sobre o DIU (dispositivo intrauterino)

No vídeo abaixo o ginecologista Marcos Vinícius Costa fala de forma bem clara sobre o DIU; que é um dispositivo intrauterino. Assista agora:

 
21/08
quinta-feira

Quais são as vantagens com o surgimento dos métodos de contracepção

Sobre os métodos contraceptivos existentes no mercado é interessante ressaltar que foi uma verdadeira revolução na vida da mulher e do casal. Partimos de famílias que tinham dez, vinte filhos para famílias que atualmente tem um a dois filhos. E as vezes alguns casais optam por não ter filhos.
Hoje temos mais opções de métodos contraceptivos. Existe o preservativo que o homem pode usar e o feminino que a mulher pode usar. Aquela mulher que não se adapta com a pílula anticoncepcional oral pode utilizar os métodos contraceptivos injetáveis ou mesmo o dispositivo intrauterino (DIU).
É importante que o casal discuta qual é o método mais adequado para eles ou até mesmo que a mulher escolha o melhor método. A mulher ainda é a pessoa que mais cuida do planejamento familiar. Junto com o ginecologista, irão encontrar um método contraceptivo que a mulher ou o casal irão se sentir confortáveis, confiantes e que terão uma segurança do ponto de vista da saúde.
A maioria dos métodos contraceptivos estão disponíveis gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde), tanto os métodos orais (as pílulas), como as injeções contraceptivas, o preservativo masculino e até mesmo os definitivos, como a vasectomia e a ligadura de trompas. Dessa forma as pessoas poderão buscar atendimento em uma unidade de saúde.